Português (Brasil)

VOTE CONTRA O FASCISMO, AGENTE DO IMPERIALISMO

VOTE CONTRA O FASCISMO, AGENTE DO IMPERIALISMO

As eleições argentinas e a luta antiimperialista

Compartilhe este conteúdo:

Imagem (https://tmb1917.blogspot.com/2023/10/votar-contra-el-fascismo-agente-del.html#more) - Javier Milei (La Libertad Avanza), Patricia Bullrich (Juntos por el Cambio), Sergio Massa (Unión por la Patria), Juan Schiaretti (Hacemos por Nuestro País) e Myriam Bregman (Frente de Izquierda y de Trabajadores)


O que estará em jogo nas eleições argentinas de 22 de outubro não é apenas a presidência do país, não é uma disputa nacional, mas uma disputa internacional, geopolítica. Está em disputa se a Argentina pertencerá ou não aos BRICS. Contra a consumação do ingresso do país ao bloco internacional se opõem as duas candidaturas da extrema direita argentina, duas candidaturas que seguem o estilo Trump-Bolsonaro, que conquistaram o apoio do imperialismo nos últimos meses.

Enfrentamos um momento mais tenso na geopolítica global. Vale lembrar que nem Bolsonaro ameaçou nem concretizou a saída do Brasil dos BRICS. Mas isso foi antes da expansão dos BRICS torná-los um problema importante para a hegemonia dos EUA, como aconteceu com a Ucrânia.

Além disso, há também outra disputa global nesta eleição, como por exemplo com a exploração do lítio na Argentina, “o petróleo” da atual revolução tecnológica. Não é por acaso que Elon Musk apoia ao fascista Milei.

A vitória de qualquer um dos dois candidatos fascistas – Milei ou Bulrrich – significaria uma derrota para os oprimidos em todo o mundo e para as frentes de resistência dos povos e nações oprimidas no meio do aquecimento da atual guerra fria. 

O povo trabalhador e oprimido da Argentina faz parte do tecido social global dos povos oprimidos do planeta e será outro alvo dos ataques sob um governo nascido de candidatos fascistas. Os dois candidatos já ameaçam deixar as organizações sindicais amorfas e atomizá-las, eliminando o sindicato por ramos de atividade, eliminando acordos coletivos e verbas rescisórias, vêm com o objetivo de uma mega-desvalorização que confiscaria salários, atacaria a saúde e a educação pública e privatizar as empresas estatais e a privatização do sistema de pensões, o que seria um golpe mortal para os reformados. Estes ataques derivam logicamente da rejeição à entrada da Argentina nos BRICS e são motivados por isso.

Diante disso, apesar das nossas diferenças de classe com a candidatura liberal e oficial, apelamos à votação em primeiro turno da candidatura do atual Ministro da Economia: Sergio Massa contra a vitória de qualquer um dos candidatos pró-imperialistas da extrema direita.

Assinam:

Tendencia Militante Bolchevique - Argentina
Partido Comunista - Brasil
Consistent Democrats - Gran Bretaña
Class-Conscious - Austrália/EEUU
Socialist Fight - Gran Bretaña
Partido Comunista do Povo Brasileiro - Brasil

Compartilhe este conteúdo:
 secretaria@partidocomunista.org
Junte-se a nós!