Português (Brasil)

Carta aberta da Liga Marxista

Carta aberta da Liga Marxista

Compartilhe este conteúdo:

A Liga Marxista - movimento marxista-leninista erigido por militantes que saíram da Unidade Popular– UP de Pernambuco - vem tornar pública sua adesão ao Congresso que se realizará nos dias 01 e 02 de julho de 2023 de maneira remota/online com a participação da Liga Socialista e da Liga Comunista. Esse Congresso visa unificar essas três correntes e fundar um novo Partido Comunista no Brasil.

Em consonância com os encontros anteriormente realizados entre essas Ligas, o Partido que irá surgir tem algumas características fundamentais que defendemos:

1. Visa ser uma força política capaz de agregar as esquerdas do Brasil para o enfrentamento contra o capitalismo e o imperialismo dos EUA.

2. É preciso, portanto, compreender que o que une a esquerda revolucionária no país é, antes de tudo, o fato de sermos marxistas. Para além das digressões sobre as vertentes trotskistas e stalinistas, entendemos que devemos olhar histórica e dialeticamente para a nossa realidade atual e vislumbrar a necessidade de unir forças para combater nossos inimigos em comum.

3. Apoiamos a Rússia na guerra contra o imperialismo dos EUA e da OTAN, bem como repudiamos o governo nazifascista de Zelensky. Reconhecemos que a Rússia é capitalista, mas o imperialismo dos EUA iniciou o confronto em busca de hegemonia internacional sem respeitar acordos prévios e isso é uma violência contra o povo e a classe trabalhadora russa.

4. Reconhecemos o papel fundamental, para o Brasil, do BRICS e a possibilidade de autonomia que ele pode nos conferir.

5. Compreendemos que as esquerdas, no cenário atual do Brasil, devem apoiar o governo Lula, mas não sem entender suas limitações e criticar o caráter de conciliação de classes e o papel que o Centrão, a Extrema Direita e o capital estrangeiro estão exercendo sobre o Governo de Lula. O PT, a CUT e os partidos e movimentos sociais de esquerda que apoiam o Governo devem ter em mente a necessidade premente de convocar o povo às ruas para fortalecer as medidas que o mesmo exigiu ao retirar o fascista do Bolsonaro do poder: reestatização das empresas nacionais privatizadas; revogação imediata das reformas trabalhista e previdenciária; reforma tributária; investimentos maciços na educação, saúde, moradia e transporte públicos; reforma agrária já; respeito aos povos originários; combate perene contra o racismo; defesa da luta LGBTQIA+ e retorno do crescimento econômico e retomada do processo de soberania do Brasil. Além do povo na rua – ação fundamental – defendemos a imediata retirada do cínico e bolsonarista Campos Neto do Banco Central: sua política de juros exorbitantes atravanca o crescimento do país e beneficia apenas os rentistas nacionais e, especialmente, estrangeiros. 

A Liga Marxista também compreende que o materialismo-histórico-dialético se faz pensando as questões do tempo presente. Por isso defendemos o pensamento decolonial que pensa a polissemia das lutas de classes a partir de nosso lugar e as contradições e conflitos históricos que nos formaram e que devem ser combatidos para que possamos, realmente, nos tornar uma nação igualitária, soberana e ciente de seu papel na geopolítica mundial.

Nenhuma anistia para os golpistas dos atos de 08 de janeiro: que seus direitos políticos sejam cassados e todos presos.

A Liga Marxista apoia a luta contra o imperialismo levada a termo por Cuba, bem como apoia a Palestina, a Síria, a China, a Coreia do Norte e o Vietnã, além de se solidarizar com o povo do Sudão e de Kosovo.

Saudamos todas e todos os revolucionários do mundo e seguiremos firmes na defesa do marxismo-leninismo. Rumo ao Congresso de fusão e de construção do Partido Comunista. Assina essa carta a diretoria da Liga Marxista de Pernambuco:

Almir Monteiro (Servidor Público aposentado)

José Carlos Marçal ( Professor Doutor de Filosofia da UFRPE)

Manuel Aires (Sociólogo e membro do Comitê Memória, Verdade e Justiça)

Compartilhe este conteúdo:
 secretaria@partidocomunista.org
Junte-se a nós!