Português (Brasil)

CEARÁ: docentes da UECE continuam em greve e aprovam contraproposta para negociar com o governo estadual

CEARÁ: docentes da UECE continuam em greve e aprovam contraproposta para negociar com o governo estadual

A contraproposta, discutida na assembleia, foi resultado do esforço conjunto da diretoria da Sinduece, e de docentes voluntários que compuseram o Grupo de Trabalho (GT), constituído na última reunião do comando de greve, realizada no dia 7.

Compartilhe este conteúdo:

 

 

No dia 13 de maio, docentes da Universidade Estadual do Ceará (UECE) reuniram-se para discutir a contraproposta a ser apresentada ao Governo de Elmano de Freitas (PT) na negociação pelo fim da greve. No momento dos informes, foi reiterado o convite para a participação de uma delegação representando as universidades estaduais na Marcha dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Brasília, no dia 22 de maio. Serão 84 vagas distribuídas em dois ônibus, que sairão de Fortaleza no próximo dia 20.

A contraproposta, discutida na assembleia, foi resultado do esforço conjunto da diretoria da Sinduece, e de docentes voluntários que compuseram o Grupo de Trabalho (GT), constituído na última reunião do comando de greve, realizada no dia 7. A pauta mantém alguns pontos da proposta anterior, como o Projeto de Lei (PL) das ascensões funcionais, ampliação de cargos, inclusão do professor Titular na carreira e o abono salarial em parcela única em dezembro para docentes ativos e aposentados. 

Em relação às novas reivindicações, a categoria reafirmou a necessidade de ir além das 35 vagas a serem convocadas do cadastro de reserva, requerendo a convocação de todo o cadastro de reserva de professores(as), desde que atendam ao perfil definido pelo colegiado de cada curso e a suas respectivas demandas. Foi proposto também a criação de um Grupo de Trabalho (GT) com a participação das reitorias, docentes, técnico-administrativos e movimento estudantil para elaborar um programa de manutenção e investimento que contemple a conclusão de obras inacabadas e não iniciadas.

Na questão salarial, os docentes aprovaram a proposta de equiparar o salário base das carreiras do Magistério Superior (MG) e Magistério da Educação Básica (MAG), de modo emergencial, a partir do dia 1º de janeiro de 2025. A medida prevê uma recomposição salarial de 19,27%. Também, foram dicutidas formas de mobilização para fortalecer o movimento grevista e pressionar o governo estadual, como a estratégia de ocupar os espaços do Rádio, onde se encontra um campus universitário em todo território cearense.

Como encaminhamento, a Sinduece está buscando articulação política para reabrir a mesa de negociação e apresentar ao Governo Estadual a contraproposta, construída e aprovada pela base, com o objetivo de pôr fim à greve com ganhos para a comunidade acadêmica e defesa das universidades públicas estaduais.

Abaixo, ato em defesa da Palestina e das revindicações da greve no V SGPFPB, no dia 15 de maio.

 

Compartilhe este conteúdo:
 secretaria@partidocomunista.org
Junte-se a nós!